Bruxismo 2018-11-28T10:19:51+00:00

BRUXISMO

Mais de 80% da população apresenta sinais e sintomas do bruxismo, que consiste em movimentos involuntários ritmados e espasmódicos de ranger ou apertar os dentes. Desenvolvemos um inovador tratamento que:

  • Controla as Dores;

  • Não invasivo;

  • Sem uso de substância química;

  •  Nenhuma contra Indicação.
Conheça o tratamento.

DEFINIÇÃO

O bruxismo pode ser definido como um hábito parafuncional, isto é, não relacionado à execução das funções normais, e que consiste em movimentos involuntários ritmados e espasmódicos de ranger ou apertar os dentes. Esta parafunção pode ocorrer tanto de dia – bruxismo de vigília, como de noite – bruxismo do sono.

Segundo estudos epidemiológicos, 80 a 90% da população (adulta e criança) apresenta sinais e sintomas do bruxismo, porém só 5% a 20% destes indivíduos têm consciência deste hábito (para maiores informações ler artigo: “o bruxismo nosso de cada dia”).

O bruxismo pode ser brando e não requerer tratamento, porém, ele pode ser severo e intenso e levar a desordens articulares e musculares, cefaléias, zumbidos nos ouvidos, danificar e até levar á perda de dentes. É comum , o portador de bruxismo noturno só se dar conta que ele é portador deste distúrbio quando ocorre uma complicação mais severa (como a fratura de um dente) ou quando a pessoa que dorme ao lado reclama de “barulhos de rangimento durante o sono”.

Porém, estudos mais recentes (2013 a 2015) mostram que o bruxismo diurno ou de vigília é mais prejudicial do que o do sono e que ele seria o maior fator de risco para o aparecimento de mialgias e artralgias da ATM. De fato, esses estudos sugeriram que o apertamento dentário durante o dia era quase 6 vezes mais frequente que o bruxismo do sono em pacientes portadores de dores na ATM e nos músculos da mastigação (região temporal principalmente).

Por esta razão, é importante conhecer os sinais e sintomas desta parafunção.

SINAIS E SINTOMAS

  • Cefaleia tensional, com dor em região temporal com pico no final da tarde
  • Zumbido sem origem definida
  • Boca dolorida com os músculos da face pesados e cansados
  • Rangimento, apertamento ou encostamento dos dentes durante o dia ou a noite
  • Dentes desgastados, fissurados, lascados e fraturados
  • Aumento de sensibilidade dentária (principalmente ao frio)
  • Hipertrofia dos músculos da face (principalmente masseter)
  • Dor na região do ouvido, devido a contrações severas dos músculos da face
  • Dor facial crônica
  • Língua e bochechas com sinais de mordiscamento
  • Cefaleia tensional cronica
  • zumbido sem origem definida
  • Seus dentes estão desgastados, danificados ou sensíveis
  • Você sente dor na boca, na face ou na região do ouvido
  • O seu parceiro reclama que você faz um barulho de “rangimento” enquanto dorme

CAUSAS E FATORES DE RISCO

As causas do bruxismo ainda são controversas, porém fatores físicos e psicológicos podem estar envolvidos

  • Ansiedade, estresse ou tensão
  • Frustração e raiva reprimida
  • Agressividade, competitividade ou personalidade hiperativa
  • Modificações que ocorrem durante os ciclos do sono
  • Resposta para dor de ouvido ou dor de dente (em crianças)
  • Crescimento e desenvolvimento das arcadas e dos dentes (em crianças)
  • Complicações de uma patologia sistemica como a doença de Huntington ou doença de Parkinson
  • Efeitos colaterais de alguns medicamentos, tais como os antidepressivos ou drogas como a cocaína, heroína, etc..
  • Idade: o bruxismo é mais freqüente em crianças e vai diminuindo com o passar dos anos

COMPLICAÇÕES

O bruxismo do sono está cada vez mais “em baixa” e perdendo o seu posto de “grande vilão” para o Bruxismo de vigília, porem pela sua característica de rangimento de alta intensidade e baixa frequência, pode levar a desgaste e até fraturas das estruturas dentárias.

As pesquisas mais recentes mostram que o bruxismo de vigília, sendo de baixa intensidade e de alta frequência está se tornando num dos grandes fatores de risco para os distúrbios citados abaixo e causar sérias complicações, como:

  • Dor facial
  • Cefaléias tipo tensional
  • Zumbido e barulhos estranhos no ouvido
  • Desordens temporo-mandibulares, que ocorrem nas articulações temporo mandibulares (ATM), localizadas em frente ás orelhas e que podem dificultar as varias funções e movimentos, como abrir e fechar a boca e provocar ruídos (estalos durante a abertura, a mastigação…)
  • Desgaste e até fratura de dentes e restaurações
  • Cervicalgias ou Dores no pescoço, nuca e parte alta das costas.

TRATAMENTO

Se você tem bruxismo noturno, o seu dentista poderá sugerir a utilização de uma placa de relaxamento muscular e de proteção dental durante o sono para evitar danos aos dentes. Estas placas são geralmente confeccionadas em acrílico rígido e ajustadas sobre seus dentes superiores ou inferiores.

Contudo, muitas crianças superam este hábito naturalmente, enquanto que na maioria dos adultos que apresentam este distúrbio, os sinais e sintomas não atingem um nível de gravidade que exige qualquer tratamento.

Em relação ao bruxismo de vigília, se ele estiver associado á Cefaleias tensionas, distúrbios da ATM e zumbidos, a intervenção terapêutica faz-se necessária e as opções incluem a terapia cognitiva comportamental (com técnicas de reversão de hábitos), terapias físicas (fisioterapia, termoterapia, acupuntura, TENS) e as técnicas de biofeedback, cada vez mais eficientes.

Neste sentido e após longos e frutíferos anos de pesquisas, iniciadas na Universidade de Paris em 2004 e complementadas na Faculdade de Odontologia da USP e no Hospital das Clinicas da Faculdade de medicina da USP, desenvolvi um tratamento absolutamente inovador para o controle destes distúrbios . É um tratamento reversívelnão invasivo, que não requer o uso de nenhuma substância química e que, por consequência, não apresenta praticamente nenhuma contra indicação.

O tratamento baseia-se  no uso de um dispositivo (patente depositada) que, através de “biofeedback”, ajuda o paciente a monitorar, em tempo real, a sua condição muscular e articular. Clique aqui e saiba mais sobre o tratamento LIVA.

Os resultados clínicos são muito encorajadores e nos deixa esperançosos que, enfim, poderemos controlar e atenuar de uma maneira não medicamentosa estas dores crônicas tão comuns nos dias de hoje.

Os tratamentos invasivos e irreversíveis, como o ajuste oclusal, a ortodontia (correção de uma possível desarmonia oclusal), a troca de próteses ou cirurgias, são contra indicados para o tratamento do bruxismo e suas consequências.

Em geral, os medicamentos não são muito eficazes para o tratamento do bruxismo.

Se você apresenta um bruxismo secundário, como um efeito colateral de um medicamento antidepressivo que você toma, o médico poderá alterar a sua medicação ou prescrever um outro medicamento.

Uso de Toxina Botulínica para DTM

Na dor miofascial mastigatória persistente, o uso de Toxina Botulínica não se mostrou clinicamente relevante e mais efetivo que as terapias físicas tradicionais sendo portanto controverso e sem indicação para o Bruxismo idiopático.

 

Você, como milhares de brasileiros, sofre com Bruxismo?

AGENDE UMA CONSULTA!