O que causa o bruxismo?

O que causa o bruxismo?

Um dado alarmante: mais de 80% da população apresenta sinais e sintomas do bruxismo. Mas nem todo mundo sabe de fato o que causa o bruxismo ou tem ciência da sua existência.

Esses movimentos involuntários ritmados e espasmódicos de ranger ou apertar os dentes podem aparecer ao longo do dia ou durante o sono.

Alguns estudos epidemiológicos apontam que mais de 80% da população mundial (adulta ou criança) já tiveram alguma ocorrência de bruxismo, mas que menos de 20% têm consciência desde hábito involuntário.

O bruxismo pode aparecer nos pacientes de forma leve, sem causar grandes problemas e passar despercebido. Porém, em sua forma mais aguda, ele pode provocar desordens nas articulações, cefaleia, dores nos ouvidos e levar ao surgimento da enxaqueca. Aqui no texto sobre os sintomas da enxaqueca já expliquei como essa relação é interligada. Aproveite para ler.

Também conhecido por briquismo, o bruxismo é subdividido em dois grupos: bruxismo noturno (sono) e bruxismo de vigília (diurno).

Tipos de bruxismo

Antes de entrar nos detalhes sobre o que causa o bruxismo, vou detalhar a você sobre cada um destes dois grupos acima.

O bruxismo noturno é um dos mais difíceis de diagnosticar. Ele é caracterizado por um movimento rítmico, similar ao da mastigação, e o indivíduo não consegue perceber. Apenas quando alguém dorme ao lado desta pessoa ou quando surgem complicações que é diagnosticado.

O bruxismo de vigília (diurno) é caracterizado por atividade involuntária na mandíbula enquanto o paciente está acordado. Estresse, concentração, ansiedade, frustração, raiva ou alguns hábitos (como mordiscar lábios, bochechas ou objetos, roer as unhas entre outros) podem desencadear o seu surgimento.

Mas aí você me pergunta: “Tudo bem doutor, já entendi a explicação, mas o que causa o bruxismo?”

Bom, as motivações podem ser bem variadas. Vamos detalhar as principais ocorrências.

O que causa o bruxismo?

Os estudos ainda não conseguiram diagnosticar uma única fonte sobre o que causa o bruxismo, mas alguns fatores psicológicos e físicos podem estar envolvidos no seu surgimento:

  • Ansiedade, estresse ou tensão
  • Frustração e raiva reprimida
  • Agressividade, competitividade ou personalidade hiperativa
  • Hábitos (como mordiscar lábios, bochechas ou objetos, roer as unhas entre outros)
  • Modificações que ocorrem durante os ciclos do sono
  • Resposta para dor de ouvido ou dor de dente (em crianças)
  • Crescimento e desenvolvimento das arcadas e dos dentes (em crianças)
  • Complicações de uma patologia sistêmica como a doença de Huntington ou doença de Parkinson
  • Efeitos colaterais de alguns medicamentos, tais como os antidepressivos ou drogas como a cocaína, heroína, etc..
  • Idade: o bruxismo é mais freqüente em crianças e vai diminuindo com o passar dos anos

É muito importante você saber o que causa o bruxismo e também a existência dele para que consiga encontrar um tratamento ideal e também que consiga entender a gravidade entre eles.

Alguns estudos mostram que o bruxismo de vigília (diurno) é muito mais prejudicial do que o noturno e que ele seria o maior fator de risco para o aparecimento de mialgias e artralgias da Articulação Temporomandibular (ATM).

Sabendo que atividades como ansiedade, frustração, agressividades e tensão podem causar o bruxismo, você precisa cuidar mais do seu bem-estar e do seu sono, dando a devida atenção para que seu corpo e alma estejam em sintonia.

Tratamentos contra o bruxismo

Se você tem bruxismo noturno, o seu dentista poderá sugerir a utilização de uma placa de relaxamento muscular e de proteção dental durante o sono para evitar danos aos dentes.

Contudo, se você percebeu a ocorrência do bruxismo noturno em uma criança, fique mais tranquilo. Ele geralmente some naturalmente.

Alguns adultos podem apresentar este distúrbio, mas com sintomas leves e que não exigem nenhum tratamento.
Porém, se percebeu o surgimento do bruxismo de vigília, aquele que aparece ao longo do dia, este requer mais cuidado para analisar a sua conexão com cefaleia, distúrbios da ATM, zumbidos e outras consequências.

Ao longo dos meus estudos, descobri que uma intervenção terapêutica para reversão de hábitos por meio de técnicas de biofeedback ampliam as possibilidades de redução do bruxismo de vigília.

O tratamento se baseia no uso de um dispositivo (DIVA®) e que atua para que o cérebro do paciente identifique os movimentos inconscientes e aprenda (por meio de biofeedbacks) que este comportamento não é o correto, normalizando as atividades.

Os resultados clínicos são muito encorajadores e nos deixa esperançosos que, enfim, poderemos controlar e atenuar de uma maneira não medicamentosa estas dores crônicas tão comuns nos dias de hoje.

Ficou curioso? Agende uma visita ao meu consultório para que, juntos, consigamos analisar o que causou o bruxismo em você e o melhor tratamento para o seu caso.

Aproveite e veja também:

2018-08-31T12:31:05+00:00